Blog

Parlamento aprova recurso à cannabis para fins medicinais

https://www.publico.pt/2018/06/15/sociedade/noticia/parlamento-aprova-recurso-a-cannabis-para-fins-medicinais-1834489

Comissão Saúde Aprova Canábis Para Fins Medicinais – RTP

https://www.rtp.pt/noticias/pais/comissao-de-saude-aprova-projeto-lei-sobre-utilizacao-da-canabis-para-fins-medicinais_n1078936#

Vias e Formas de Administração da Canábis

medical tablets pharmacy cure
Photo by Pixabay on Pexels.com

A Cannabis e seus compostos (CBD, THC, Terpenos) podem ser administrados por várias vias sendo o efeito obtido diferente na sua intensidade, duração e rapidez de acção.

Dado que a Cannabis vai seu utilizada em pessoas com doenças, está desaconselhado o consumo inalado / fumado.

A Cannabis pode ser administrada por vaporização caso se pretenda um e feito rápido, mas também mais curto (2-3 horas).

Pode ser administrada em tinturas em que o início de acção é intermédio cerca de 15 minutos e pode durar até 6-8 horas.

Ou pode ser administrada em alimentos em que o início do efeito é mais lento (2-3 horas) mas pode durar mais de 12 horas.

Estas são as formas mais frequentes de administração da Cannabis :

– Via fumada é a mais utilizada na Cannabis recreativa – o efeito é muito rápido, ocorre em minutos; dura cerca de 2 a 3 horas e pode ser muito intenso. A vantagem é que a dose administrada é mais fácil de controlar. No contexto medicinal é a menos eficaz pela toxicidade do fumo.

white smoke
Photo by Snapwire on Pexels.com

Vaporização é em muito semelhante á inalação de fumo, mas sem a irritação brônquica e os malefícios do fumo. É fácil de controlar a dose administrada e pode ser muito útil nas doenças em que se pretende uma resposta rápida como no caso da dor. Neste caso a Cannabis é aquecida, em aparelhos específicos, até se evaporarem os compostos terapêuticos, sem haver combustão da planta. Assim, inala-se o vapor e não o fumo. É um método muito em voga e eficaz pois poupa-se muito medicamento, consegue-se o mesmo efeito com uma dose menor. A combustão destrói parte do THC e CBD, o que não ocorre na vaporização. Por outro lado na vaporização a extracção é mais completa e o efeito pode ser muito potente. A vaporização, assim como a via fumada, são as formas mais rápidas de obter o efeito terapêutico da Cannabis.

Tinturas – podem ser administradas debaixo da língua ou com alimentos. O efeito é mais lento do que quando inalada. Se for dada sublingual demora cerca de 15 minutos a actuar e o efeito pode durar cerca de 6 a 8 horas, dependendo da dose. Tomado com alimentos, inicio de acção é mais lento (2-3 horas). As tinturas dosificam-se de forma simples, principalmente no inicio, quando não se sabe a dose que o paciente irá necessitar. Podem ser administradas uma a duas gotas de 20 em 20 minutos até se obter o efeito desejado. Desta forma não há o risco de administrar uma dose mais elevada do que pretendido. As tinturas quando tomadas com alimentos têm um perfil muito semelhante aos edíveis descritos a seguir.

– Edíveis / administração com alimentos – o início de acção é mais lento e pode demorar várias horas (2 a 3), até se obter o efeito pretendido. Depois de actuar o tempo de acção é muito longo (mais de 8 horas) e como há metabolismo hepático os derivados da Cannabis que atingem o cérebro ou nervos periféricos são diferentes e induzem um efeito também diferente. O efeito tende a ser mais sedativo. Contudo este pode ser muito intenso e é mais difícil de titular, ou seja, calcular a dosagem correcta. É útil em doenças em que se pretenda um efeito longo com poucas tomas de medicamento.

– Cutânea / Tópica – este tratamento faz-se com pomadas, unguentos e loções que ajudam em muito a reduzir a dor articular, óssea e muscular. É eficaz nas doenças reumatológicas e no controlo da dor. A acção é relativamente rápida e não é absorvido para a corrente sanguínea. Assim a aplicação tópica da Cannabis não vai para o sangue ficando apenas na região a tratar.

A escolha da via de administração da Canábis depende da rapidez com que se pretende que actue e com a sua duração. Na dor, por exemplo, a resposta pretende-se que seja rápida. Também se podem combinar diferentes formas de administração da Canábis de maneira a dar ao doente alivio do seus sintomas de forma duradoura mas também de acção rápida. Uma opção é combinar uma tintura dada sublingual com edíveis, por exemplo. Também se podem utilizar tinturas nos alimentos e vaporização quando os sintomas ficam mais intensos.

O que é a Canábis ?

shallow focus photography of cannabis plant
Photo by Michael Fischer on Pexels.com

A Canábis é uma planta ancestral, é mais antiga do que a espécie humana. Pensa-se que seja originária da cordilheira do Hindu Kush, região que abrange parte da Índia, do Pakistão e do Nepal. Dadas as suas características de grande adaptabilidade e resistência conseguiu conquistar o mundo e ainda hoje em dia, apesar da proibição, pode ser encontrada a crescer selvagem da Sibéria aos trópicos.

É utilizada pela humanidade há milénios para a produção de têxteis, corda e pelos efeitos inebriantes. É uma planta sagrada em diversas culturas do Hinduismo ao Rastafarianismo. Os sufis, uma vertente mística do Islão, têm uma profunda ligação com a Canábis. Sem o Canhâmo (Canábis com baixo teor de fitoactivos) a expansão marítima não teria sido a mesma pois as cordas dos navios e caravelas eram de Canhâmo. Alias, a Canábis crescia nas margens do Tejo sem sequer ser plantada até ás primeiras décadas do século XX.

A Canábis foi descrita na ciência ocidental pela primeira vez por Linnaeus (o pai da classificação das espécies na Biologia), em 1753. Este autor atribuiu-lhe o nome de Cannabis Sativa. Três décadas mais tarde Lamark (outro importante biólogo) descreve a Cannabis Indica. No fundo são duas variantes da mesma espécie mas adaptadas a climas diferentes. A Sativa é tropical e a Indica de climas mais frios e temperados. Tradicionalmente as Sativas têm sido utilizadas para fumar as flores (ex: Jamaica, México, Tailândia) e as Indicas para produzir Haxixe (resina da planta aquecida e prensada). O Haxixe é produzido em países como Marrocos, Nepal, Índia, Pakistão entre muitos outros. O efeito do Haxixe (pelas características da própria planta e do processo de fabrico) é mais sedativo.

A Cannabis Sativa tem um efeito estimulante em consequência do perfil de substâncias fitoactivas que possui. É mais rica em THC e menos em CBD.

O efeito da Cannabis Indica é mais sedativo pois têm maior teor de CBD. O CBD por si só não é psicoactivo mas modula o efeito do THC tornando-o mais potente, mas também mais sedativo. O CBD tende a atrasar o inicio de acção mas prolonga-o por mais tempo. O Haxixe é mais sedativo por esta razão mas também por ter maior teor de CBN, substância que ocorre pela deterioração do THC. O CBN tem um efeito muito sedativo.

A Canábis é uma planta anual, isto é nasce na primavera e morre no final no outono, largando no solo as sementes para o ano seguinte. Esta planta tem dois géneros – macho e fêmea. As fêmeas produzem mais substâncias fitoactivas pelo que são as utilizadas para extrair medicamentos derivados da Canábis.

A Canábis Medicinal

shallow focus photography of cannabis plant
Photo by Michael Fischer on Pexels.com

A Canábis é utilizada em todo o mundo dos EUA à Alemanha e Israel no controlo de sintomas de doenças como:

* Fibromialgia – reduz a dor;

* Dor Neuropática;

* Dor Crónica;

* Tratamento com Quimioterapia  – estimula o apetite e reduz as náuseas;

* Epilepsia – reduz as convulsões principalmente em certos tipos de Epilepsia Infantil;

* Glaucoma – reduz a pressão intraocular;

* Esclerose Múltipla– reduz a espasticidade / rigidez muscular e a dor;

* Infecção por HIV/SIDA – estimula o apetite;

* Insónia (desencadeada por diversas causas);

* Ansiedade;

* Doença de Crohn;

* Asma;

* Síndrome de Tourette;

* Stress-Post Traumático;